Um blog destinado à luta contra a instauração de uma nova ditadura no Brasil







segunda-feira, 13 de março de 2017

Pautas para o dia 26/03/2017


- Desregulamentação da economia (redução de alvarás, exigências técnicas, taxas e tributos)

- Facilidade, rapidez e custo baixo para abrir e fechar empresas

- Redução drástica da carga tributária para pessoas físicas e empresas

- Facilidade e eficiência para a importação de produtos

- Facilidade para contratar e despedir 

- Garantia absoluta do direito de propriedade

- Proibição da utilização das instituições públicas para fins políticos e ideológicos

- Garantia do direito de portar armas para a defesa pessoal

- Penas mais duras para crimes contra a vida e integridade física dos cidadãos

- Reforma que visa a eficiência e humanização do sistema penitenciário; sem privilégios para detentos

- Simplificação e redução de normas em geral para dar eficiência, transparência e segurança jurídica

- Proibição de partidos políticos que defendem regimes repressivos e ditatoriais.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Reinaldo contra o deslocamento do centro do espectro político

No dia 22 de maio de 2016, publiquei este post : 

O jornalista Reinaldo Azevedo, que se descreve como liberal na economia e moralmente conservador, vem fazendo ao longo dos anos uma oposição contundente aos governos petistas? Sim. Não há dúvidas sobre isso. 

Durante muito tempo, praticamente todas as críticas um pouco mais duras e reveladoras das entranhas do petismo na grande mídia tiveram origem na revista República e depois no Blog do famoso tio Rei. Tampouco se pode negar que o homem sabe escrever, e muito! 

Entretanto, e este é um fator importante, o sucesso dele não se deu, acima de tudo, graças a seu talento de escritor, mas antes, graças à percepção de que aquilo que ele escreve corresponde à realidade, à verdade nua e crua. 

Para o grande público sedento de informações fidedignas e face ao panfletismo esquerdista descarado praticado por praticamente todas as redações da grande mídia nacional *, Reinaldo Azevedo se assemelhou a um poço de água fresca no meio do deserto. 

De pronto, podemo-nos indagar: onde estão os outros Reinaldos Azevedo? Ah sim, temos o Arnaldo Jabor, o Demétrio Magnoli, o Marco Antonio Villa e o Diogo Mainardi. 

De fato, eles estão mais ou menos presentes na grande mídia e todos já fizeram críticas duras ao petismo, apareceram na televisão e escreveram livros. Entretanto, o que eles representam a título de porcentagem dentro dum universo de milhares de jornalistas adestrados por professores esquerdistas e sindicatos? 

Uma gota no oceano. Ou seja, eles são os poucos privilegiados a quem incube a função de dar ares de legitimidade ao jornalismo, ares de pluralidade. Não obstante, esta não é a única função deles. Eles estão aí também e sobretudo para marcar uma linha ideológica. 

O espectro político, na chamada direita moderada, acaba ali, com eles. Quem for além do permitido pela intelligentsia tupiniquim (Por exemplo: Jair Messias Bolsonaro  ou Olavo de Carvalho e qualquer um que concorde com eles) é imediatamente rotulado de extremista e vilipendiado de forma virulenta, mas rotulado e vilipendiado por quem? Pela esquerda? Não, por eles mesmos, os Reinaldos!

É nesse ponto especifico que a percepção de que eles retratam a realidade e a verdade começa a ruir. O povo quer ir além daquilo que essa oposição consentida consente.

Há de se convir, baita desafio! Represar o desejo da busca pela verdade e pela justiça de toda uma nação com meia dúzia de Reinaldos não beira à loucura, adentra profundamente nela. Mas fazer o quê? Por acaso, o desejo de dominação não contém um quê de loucura, forçosamente? 
------
E hoje?

Dez meses mais tarde, Reinaldo Azevedo prova de maneira mais que contundente que ele não passa de um porta voz da institucionalidade esquerdista que domina o país. Não se trata aqui de especular se o Reinaldo é um esquerdista infiltrado na direita ou conhecer sua verdadeira ideologia, trata-se somente de reconhecer o óbvio: ele só escreve a verdade quando se trata de defender certa posição política (sem aludir, aqui, à posição ideológica), e essa posição política é a posição do establishment político/mediático/cultural dominante no Brasil (atualmente o consórcio PSDB/PMDB). Esse establishment é de esquerda e rico o suficiente para pagar, e pagar muito bem, a qualquer pseudo-direitista bom de lábia disposto a defender seus interesses. 

Em relação às decisões absurdas do STF em relação a Jair Bolsonaro, Reinaldo Azevedo possui toda a capacidade intelectual para acusar a farsa. E não seria difícil fazê-lo, pois bastaria levantar alguns princípios básicos da jurisprudência (o que ele costuma fazer de maneira convincente, quando convém) relativa à incitação ao estupro, o que, logo de cara, deixaria evidente a fantasia jurídica que inspirou o STF a aceitar essa denúncia esdrúxula apresentada por uma vice-procuradora-geral da República que acabou pedindo exoneração de seu cargo após a imprensa divulgar imagens de ela participando de uma ato contra o impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff. Se Bolsonaro fosse Tucano, certamente Reinaldo estaria gritando "aparelhamento das instituições" e "atentado contra a democracia" pelos quatro cantos.

Quando Reinaldo Azevedo tacha Bolsonaro, Olavo de Carvalho e até o MBL de extrema direita ou de direita xucra, ele se revela como a última linha de defesa do velho deslocamento do centro do espectro político à esquerda. O centro está retornando a seu devido lugar, a realidade é implacável. O Reinaldo, com seus cinco empregos, vai resistir até o fim. 


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Por que apoiar Donald Trump e por que (eu acho) que ele vai ganhar?

Vamos à primeira pergunta: por que apoiar Donald Trump? Trata-se de uma pergunta oportuna, pois certamente, nunca na história de eleições americanas se exigiu de maneira tão virulenta que eventuais apoiadores de um dos dois principais candidatos à presidente justificassem sua escolha. Esse fator em si já é sintomático daquilo que tentarei explicar nas próximas linhas.

Todas as pessoas de bem que prezam a democracia e desejam o bem para o povo dos Estados Unidos deveriam apoiar Donald Trump. Parece que eu estou insinuando que a democracia americana esta sob ameaça. Não é verdade, não estou insinuando isso, estou afirmando isso da maneira mais séria e categórica possível. A motivação por trás dessa afirmação é a seguinte: quando um esforço coordenado entre os maiores conglomerados midiáticos do pais (mais ou menos 5 grande empresas que hoje dominam praticamente todo o mercado nos Estados Unidos) tem como objetivo criar uma imagem monstruosa, intragável e moralmente inaceitável  de um dos dois únicos candidatos com reais chances de vitória, e essa imagem se torna o FATOR DETERMINANTE DAS ELEIÇÕES, isso significa que o poder não reside mais verdadeiramente nas mãos de um povo bem informado e soberano, mas sim nas mãos daqueles que detêm os meios de manipular um povo vítima de uma inocência crédula, pois acostumado em acreditar na mídia e no fundo, distanciado da realidade. Isso é democracia onde?

Uma rápida pesquisa quantitativa demonstraria de maneira inequívoca o imenso desequilíbrio da cobertura midiática, talvez não tanto para levantar a imagem de Hillary, mas para transformar Trump num monstro moral, machista, abusador de mulheres, racista, descontrolado, egoísta, xenófobo, em suma, o político mais odiado desde Hitler. Tudo isso baseado em alegações sem provas, numa gravação com uma fala grosseira, e sobretudo e mais importante, na distorção da notícia. O muro proposto como instrumento de controle de fronteira (destinado a conter imigrantes independente de raça e que salvaria vidas, pois muitas pessoas são assassinadas ou estupradas nas mãos de atravessadores, alem de impedir a entrada de drogas, armas que fomentam a criminalidade) se transforma numa simples questão de racismo e xenofobia (palavras "gatilho" criadas para provocar uma reação emotiva). Distorção da finalidade e da intenção do muro. Trump reconhece o perigo representado pelo terrorismo radical islâmico (já se esqueceram das vítimas de Orlando ou do Onze de Setembro?) e isso vira islamofobia. Distorção de intenção. Mais uma palavra "gatilho".

Enquanto isso, a Hillary ataca e humilha mulheres que foram comprovadamente violentadas por seu marido e quase ninguém se dá conta disso. Minimização  e ocultação de notícia.
 Ela defendeu e livrou um estuprador de uma menina de 12 anos  (há uma gravação na qual ela debocha do fato). E tudo bem, ninguém se importa com isso. Minimização  e ocultação de notícia.
 Ela cometeu um crime federal quando usou um servidor privado e secreto para enviar correspondência confidencial com segredos de Estado, foi convocada a depor numa CPI e mesmo assim destruiu as provas. Se não fosse o Wikileaks ninguém saberia de nada. Ou seja, se essa informação não tivesse sido entregue de bandeja, ninguém saberia. Minimização  e ocultação de notícia. E o mais inacreditável: muitas pessoas preferem ver uma criminosa praticamente confessa na presidência dos Estados Unidos no lugar de Trump, que não cometeu crime algum! Tal foi a eficácia do trabalho de destruição de imagem. Há de se admitir, é de tirar o chapéu. É Hillary que praticamente declara guerra contra a Russia quando ela propõe abater aviões daquele país na Síria, e o destemperado e louco acaba sendo o Trump, justamente o que prega moderação. A proposta da Hillary tem o potencial de deflagrar a terceira guerra mundial (e atômica, ainda por cima!)
Quando afirmo que as pessoas que odeiam Trump e querem ver a Hillary na presidência estão afastadas da realidade, são a esses fatores aos quais eu me refiro. E fico aqui esperando que alguém me refute.

Agora vamos à segundo pergunta:  por que eu acho que Trump vai ganhar? Eu acredito que ele vai ganhar por causa de um único fator que será, no final das contas, mais determinante do que o trabalho da mídia corrupta, A INTERNET. A internet acaba se tornando num instrumento maior da democracia, Um lugar onde as informações relevantes ainda circula livremente e onde o cidadão comum com algo relevante a dizer ainda tem voz. Além do mais, o povo dos Estados Unidos  possui uma tendência quase que genética a ser um povo livre e soberano. Não acredito que o bloqueio midiático poderá contê-lo, Trump sabe disso, e está sabendo explorar essa opção ao máximo. Não que ele tenha outra opção.

sexta-feira, 17 de junho de 2016

As fobias e os "ismos" dos irresponsáveis e o massacre de Orlando


Descrição do massacre de Orlando, tirado de trechos de um artigo de "El País":

"Um homem de 29 anos abriu fogo em uma casa noturna popular entre a comunidade gay, matando pelo menos 50 pessoas e ferindo 53. Foi o pior atentado a tiros múltiplo da história. Os primeiros indícios apontam para um único atirador, que foi baleado pela polícia. O atirador, identificado como Omar Siddique Mateen, era cidadão norte-americano de pais afegãos. Fontes da investigação citadas por vários meios de comunicação dos Estados Unidos apontam que o atirador teria telefonado para o número 911 pouco antes do massacre para declarar sua lealdade ao Estado Islâmico (ISIS, na sigla em inglês). Horas depois do ataque,o grupo assumiiu a autoria do mesmo em um boletim emitido pela agência de notícias Amaq." 


Mais um ato de terror horripilante cometido no Ocidente. Evidentemente, depois vem a enxurrada de tentativas de compreensão e tentativas de contextualizar o fato. Vamos lá então: O presidente Obama pede mais controle de armas ( se houvesse um controle maior de armas, não teria ocorrido o atentado?); a militância LGBT declara que foi um ato homofóbico (nisso eles têm razão, apesar de arranhar apenas um aspecto da coisa); alguns culpam a Religião como um todo (se não houvesse religião no mundo não teria havido o ataque, trata-se de um non-sense é claro; equivale a dizer que se não houvesse carros não haveria acidentes de carros, ou seja, foge da nossa realidade).


Trata-se como um problema relacionado à questão da imigração? De maneira abrangente não, mas na medida em que se deixa perdurar uma situação de falta de controle de quem entra e sai do país, é evidente que você pode ter terroristas usando as rotas tradicionais da imigração ilegal para entrar no país e cometer atos de terror, lógico. Esse não foi o caso de Mateen, entretanto, pois ele era um cidadão americano filho de imigrantes Afegãos.


Qual foi a motivação do crime? Ódio contra os homossexuais? Sim, evidentemente. Imposição religiosa? Agora a questão fica um tanto nebulosa. Segundo a ex-mulher de Mateen, ele não aparentava ser muito religioso, era mentalmente instável (ela usou o termo "bipolar") e batia nela regularmente. Há vários relatos de que o Atirador tenha sido ele mesmo um homossexual enrustido. 


Por enquanto, parece (precisar-se-ia fazer um diagnóstico profissional) que se trata de um caso de um doente mental com um conflito psíquico causado por seus desejos íntimos e os valores religiosos transmitidos pelo seu pai, um muçulmano militante apoiador do Talebã do Afeganistão. Eles declarou que cabe a Deus punir os homossexuais.


Do que temos certeza afinal? De que o Assassino era influenciado pela organização terrorista ISIS, que o próprio deixou registrado sua lealdade a esse grupo e que a organização aceitou essa lealdade e revindicou o atentado. 

E eis aqui o fator fundamental, o fator que distingue esse indivíduo transtornado, violento e  homofóbico de todos os outros indivíduos transtornados, violentos e homofóbicos que apesar de tudo, não entram numa boate cheia de gente e abrem fogo. Sendo esse o ponto de diferenciação, o mais lógico seria então focar a atenção e os esforços sobre ele, correto? 

Mas não! Os irresponsáveis, os que colocam a vida das vítimas atrás de suas preferências políticas e suas ideologias, começam a falar de outras coisas. A militância LGBT culpa o cristianismo, o Donald Trump, e pasmem, o Bolsonaro e o Feliciano! 

Porém, o fato mais grave é que o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama preferiu focar na questão abstrata de controle de armas! Imaginem em que situação trágica se encontram os homossexuais! Eles vão ter que ajudar a travar uma batalha política que duraria anos a fio, e se ganharem a parada, torcer para que os terroristas não vão burlar a lei e conseguir no mercado negro uma arma para mais um massacre. E durante esse tempo todo, permanecerem completamente vulneráveis a novos ataques! 

Quando defendemos a ideia de que as mentes de muitas pessoas não estão mais funcionando de maneira saudável, é precisamente nessas horas que percebemos que estamos cobertos de razão.

O que é que os cidadãos normais (não contaminados por ideologias) temos de fazer? Lutar para manter o foco no problema real e mandar um recado inequívoco para os irresponsáveis: ou vocês deixam de lado seus ideais supervalorizados e começam a focar na realidade, ou saiam da frente e não atrapalhem os adultos. 

Nós não toleraremos novos massacres enquanto vocês ficam falando de políticas utópicas e culpando seus monstrinhos pessoais. 


    
   



https://www.youtube.com/watch?v=iQBEiuK8ts0
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/quem-e-omar-mateen-o-atirador-que-matou-dezenas-na-boate-gay-de-orlando.html
http://extra.globo.com/noticias/brasil/contra-a-corrente/homofobia-bolsonaros-felicianos-puxam-gatilho-19509033.html?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar

quarta-feira, 8 de junho de 2016

O nevoeiro mental do pensamento doutrinário, perigo para a saúde mental em tempos de acirramento político.

O Dr. Lobaczewski descreveu em seu livro intitulado "Ponerlogia: Psicopatas no Poder" o caráter psicopatológico das ideologias. Mais precisamente, ele demonstra que as ideologias contém em seu âmago ideias que refletem uma visão anômala (ou doentia) do mundo (a declaração esquizoide no marxismo, por exemplo). 

As vítimas podem aceitar a ideologia parcialmente (com ressalvas) ou completamente (aceitação patológica). Entretanto, o instinto natural da maioria das pessoas faz com que elas a rejeitem completamente.

Quem pode negar que as famosas cusparadas do deputado *Jean Wyllys e as do ator global **José de Abreu constituem atos de pura histeria? Cuspir na cara dos outros nunca é considerado uma ação política, ou comportamento, pura e simplesmente, aceitável por pessoas normais. Também não os é defecar*** em público (sobre fotografias de desafetos políticos ou sobre qualquer outra coisa). 

Podemos citar vários casos de atos histéricos, como a introdução de objetos religiosos no anus em público como forma de protesto, ou os ataques físicos a pessoas que simplesmente não aceitaram a ideologia. A internet pulula com vídeos de casos como esses.  

Nosso instinto natural nos impele a satisfazer nossas necessidade fisiológicas apenas em lugares reservados ou privados. Ou alguém já viu uma privada no meio da sala de estar, na frente da televisão? O que são "pessoas normais" então, no sentido da psicologia? São pessoas com pleno controle racional sobre suas ações, que interpretam a realidade de maneira lógica e que são dotadas de um instinto natural saudável, independentemente de suas posições políticas.

Entretanto esses são apenas os casos mais visíveis e óbvios. Há também os conflitos psíquicos, nos quais as vítimas têm que conciliar o desejo de manter amizade ou relacionamento com pessoas cujas ideias ou preferências políticas são terminantemente proibidas pela ideologia. Quando você sente um certo ódio ou repulsa por uma pessoa (como um todo) por causa de uma preferência política dela, então você já não seria considerado psicologicamente saudável****. 

É por isso que o que mais se vê na política são "aliados" ideológicos (doentes) muitas vezes se tratando como verdadeiros inimigos mortais e pessoas normais se tratando bem, apesar de discordarem politicamente.  Na psicologia, um traço de personalidade se torna transtorno de personalidade a partir do momento em que esse traço se torna pervasivo e começa a afetar de maneira abrangente a vida e os relacionamentos das pessoas.

*https://www.youtube.com/watch?v=JWydI5kODjc
**https://www.youtube.com/watch?v=r-HdmGMfHJ4
***https://www.youtube.com/watch?v=iY3MUK5o3V0
**** http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2016/03/1749366-acirramento-politico-e-textao-fazem-usuarios-abandonarem-redes-sociais.shtml

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Um debate essencial para a nossa existência: a proibição do comunismo no Brasil; ou : Vamos proibi-los antes que sejamos proibidos por eles!



O deputado federal Eduardo Bolsonaro apresentou um projeto de lei que criminaliza o comunismo no Brasil. Antes de entrar em detalhes sobre o conteúdo específico desse projeto, vale a pena a gente refletir sobre o seu espírito. O espírito desse projeto é a preservação da vida antes de mais nada. 


Então, antes de nos perdermos em debates teóricos relativos à liberdade de expressão, pluralidade e tolerância na política e outros temas relevantes, cabe lembrar que nada disso é possível para um preso político apodrecendo em uma masmorra e muito menos para um cadáver. 


Eu espero que esta oportunidade para debater esse tema essencial não seja desperdiçada, seja por razão de ignorância histórica, seja por preguiça e a tendência a subestimar o perigo. Evidentemente, este blog voltará com mais detalhes sobre o projeto importantíssimo do corajoso deputado. 


 

Abaixo, reproduzo um artigo que publiquei em setembro de 2012 neste blog:

A ascenção do partido inconstitucional e anticonstitucional

Eleitor típico do PC do B
Algo de muito grave está acontecendo na política nacional: a ascenção  de um partido que PREGA ABERTAMENTE A VIOLAÇÃO DAS CLÁUSULAS PÉTREAS DE NOSSA CONSTITUIÇÃO! Num site da Cámara dos Deputados, encontrei uma boa definição de cláusula pétrea que reproduzo aqui:


Cláusula pétrea click aqui 

Determinação constitucional rígida e permanente, insuscetível de ser objeto de qualquer deliberação e/ou proposta de modificação, ainda que por emenda à Constituição.
As principais cláusulas pétreas estão previstas no artigo 60 da Constituição, parágrafo 4º: “Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir: a forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, universal e periódico; a separação dos Poderes; os direitos e garantias individuais”. Os direitos e garantias individuais são relacionados no artigo 5º, que tem 77 incisos. 

Posso demonstrar exibindo o estatuto do PC do B que eles realmente pretendem, de maneira institucional, partidária, violar as cláusulas pétreas da nossa constituição: 

Do site to PC do B:


Estatuto do Partido Comunista do Brasil - PCdoB

Versão atualizada no Congresso Extraordinário, em agosto de 2010
Capítulo I – Do PartidoArtigo 1º

O Partido Comunista do Brasil, fundado em 25 de março de 1922, reorganizado em 18 de fevereiro de 1962 e legalizado, na fase atual, em 27 de maio de 1985, é o partido político da classe operária e do conjunto dos trabalhadores brasileiros, fiel representante dos interesses do povo trabalhador e da nação. Organização política de vanguarda conscie
nte do proletariado, guia-se pela teoria científica e revolucionária elaborada por Marx e Engels, desenvolvida por Lênin e outros revolucionários marxistas. 


Conclusão: A teoria científica e revolucionária elaborada por Marx e Engels DETERMINA INCONTESTAVELMENTE A VIOLAÇÃO DAS CLÁUSULAS PÉTREAS DA NOSSA CONSTITUIÇÃO.



Artigo de Renato Rabelo, presidente nacional do Partido Comunista do Brasil (PC do B) no site desse partido: 

Renato Rabelo destaca que neste ano o PCdoB concorre às 
eleições com 13.614 candidatos. “Os números falam por si. Dobramos o número de candidatos a prefeito e 
quadruplicamos o número de candidatos a vereador, 
quando comparamos com os números de 2008”.

O presidente do PCdoB também destacou as disputas em capitais importantes do país. “Em Porto Alegre, desde o início da campanha, Manuela vem disputando o primeiro lugar nas pesquisas; em Florianópolis, Angela Albino se mantém em primeiro; outro destaque é Fortaleza, Inácio e Chico ocupam o segundo lugar nas pesquisas, mesmo com um tempo mínimo de TV e rádio; em Manaus, Vanessa também disputa o primeiro lugar; e em Goiânia, Isaura Lemos ocupa o segundo lugar nas pesquisas”, atualizou.

Além disso, o Partido está no páreo, em condições competitivas, também em cidades importantes como Caxias do Sul (RS), Contagem (MG), Foz do Iguaçu (PR), Jundiaí (SP) e Olinda (PE). Mesmo em capitais, como São Paulo, Salvador e Rio Branco, onde o partido não encabeça as chapas para prefeito, os comunistas apoiam candidaturas com forte apelo eleitoral.

VOLTEI

Está ocorrendo a ascenção de um partido que está prometendo acabar com a nossa democracia, com as garantias dos direitos fundamentais, do voto secreto, com o pluralismo político, com a liberdade de expressão, com a liberdade de crença, pois tudo isso consta da "teoria científica e revolucionária elaborada por Marx e Engels, desenvolvida por Lênin e outros revolucionários marxistas" defendida pelo PC do B em seus estatuto! 

Está na hora de os outros partidos políticos questionarem politicamente e JURIDICAMENTE a legitimidade da existência mesmo desse partido na nossa democracia. Trata-se de uma questão de sobrevivência de todos os outros partidos no Brasil, da nossa democracia e da segurança dos nossos direitos fundamentais!

quarta-feira, 25 de maio de 2016

O Brasil que queremos, em algumas linhas.

Nós admiramos os Estados Unidos pelos seus acertos. Aquela nação conseguiu criar um ambiente econômico que possibilitou uma prosperidade geral como nunca tinha existido na história deste mundo. Evidentemente, essa prosperidade geral proporcionou um bem-estar para sua população que nenhum outro país demograficamente comparável logrou atingir.

Poder-se-ia afirmar que o que diferença entre um liberal, um conservador e um socialista é o seguinte fator: Os primeiros pretendem emular os Estados Unidos naquilo que foi comprovadamente exitoso, enquanto este último pretende emular a União Soviética (ou Cuba) naquilo que é prometido em belos discursos encantadores, mas que comprovadamente fracassou.

Nós queremos emular as virtudes dos Estados Unidos*, e não seus fracassos ( e os há). Para que isso seja factível, será  preciso adotar sua receita política essencial, ou seja, uma construção política de base conservadora e liberal. Conservadora em seus valores fundamentais e tradicionais e liberal no tocante às garantias das liberdades individuais e econômicas. Evidentemente, teremos que construir nossa própria versão tupiniquim (e não se poderia excluir o retorno de uma monarquia constitucional por exemplo, pensando naquilo que já funcionou bem sob vários aspectos).

Portanto, uma união sagrada entre liberais e conservadores torna-se indispensável. Nas últimas décadas, os liberais (os fiéis da balança, acredito eu) foram cooptados pelos socialistas/comunistas**. Deu no que deu. 

Uma coisa é certa, o triunfo do socialismo significará o fim do conservadorismo e do liberalismo e a servidão de um povo eternamente ignorante, miserável e sofredor, controlado por uma elite rica, corrupta, cruel e absolutista (tradição comunista).


*Prosperidade, bem-estar, segurança, inovação, oportunidades, liberdade, sanidade.
** Para compreender como isso se deu, leiam o capítulo sobre a verdade no liberalismo no excelente livro de Roger Scruton, "Como Ser um Conservador".